Livre Tashi Wangchuk

Envie uma mensagem urgente aos seguintes 18 Ministros de relações Estrangeiras pedindo-lhes intervenção junto a China para a libertação imediata: O email deve ser enviado para Austrália, Canadá, República Checa, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Icelândia, Índia, Irlanda, Japão, México, Noruega, Suíça, Suécia, Reino Unido, US e União Européia.

Prezado Sr. solicito-lhes encarecidamente, em, em caráter  individual ou coletivo  coloque na agenda dos Ministros  Chineses Ministers o caso do ativista por direitos lingüísticos tibetano Tashi Wangchuk [Ch: Zhaxi Wangchu. Tashi Wangchuk, 30, foi detido em  27 de janeiro de 2016 no distrito de  Yushul, na província de Kham (Ch: Yushu, Qinghai), e acusado de “incitar o  separatismo” no dia  24 de março. A última vez que ele foi visto foi no Centro de Detenção Yushu, Yushu City. Desde então, sua família não tem sido permitida vê-lo ou com falar com advogados sobre a situação.

 

Tashi foi um ativista que reivindicava o uso da língua tibetana nas escolas do Tibete onde o mandarin se tornou a única língua de isntrução usada no processo educativo no Tibete. Ele, abertamente expressava sua preocupação sobre o perigo de extinção da língua nativa do Tibete e sua cultura, uma vez que as crianças tibetanas estão se tornando incapaz de falar sua própria língua. Em 2015 to jornal New York Times, no artigo “A Tibetan’s Journey for Justice” [Uma Jornada Tibetana por Justiça], reportou a tentativa de Tashi de protocolar um processo judicial para processar o governo por causa d a ausência da língua tibetana nas escolas do Tibete: nenhum escritório de advocacia se dispôs a ajudá-lo.

 

Diante da presente situação em que a repressão da China apertou, o caso de Tashi Wangchuk é um exemplo de como tibetanos são reprimidos e punidos por “separatismo”  por qualquer tipo de atividade considerada pelo sistema chinês como ameça.

 

Rogo-lhes  indagar sobre o caso de Tashi Wangchuk e pedir sua liberdade imediata e incondicional. A China deve garantir que ele esteja livre da tortura e de outros maltratos, permitir-lhe imediato accesso a um advogado de sua escolha, bem como a tratamento médico e visitas familiares, em conformidade com com o Plano de Ações de Direitos Humanos da China [China's Human Rights Action Plan]  e a as Leis que Regulamentam as Prisões do partido comunista Chinês  [Prison Law of the PRC].

Sinceramente,